terça-feira, 5 de janeiro de 2010

"- Pede também um para a menina loira que eu já morei no estrangeiro e sei como custa.
- Esse grande país que é o Estrangeiro!"



Há dias em que acorda comigo um desejo renovado e mais intenso. Partir. Para onde? Apenas ir...! Com bilhete só de ida!
Aqui o chão teima em fugir destes pés feridos e cansados. Apenas desejo um pouco de céu. Do meu céu.
Lá! Onde tudo se pode formar de raiz. Eu, por minha conta. Porque muitas vezes isto basta. Porque é necessário.
Não tenho medo de ir. Não tenho medo do que vou encontrar. Acho que já nem tenho medo de me magor, mas tenho medo de magoar.
Sou eu. Na minha imperfeição perfeita. No meu raciocinio pouco lógico que me fez perder o fio à meada neste texto.
Sem lógica e perdida. Um pouco disto.
E dispenso palmadinhas nas costas, quando só querem apunhalar o coração.
Desculpa lá, mas não vai dar!

Revoltada! Não com a vida, nem com Deus, nem com A, B ou C. Apenas com a minha estupidez natural!

2 comentários:

* disse...

posso juntar-m a ti?

Ana disse...

Vamos as três q o barco é o mesmo. Ou o comboio, ou o carro, ou até mm a pé. Contigo, era por esse estrangeiro adiante. *